Indy em dose dupla

A Indy está garantida em território brasileiro pelas próximas três temporadas e em duas vias. A Cultura renovou o acordo para exibição em TV aberta e, finalmente, a ESPN volta a transmitir a categoria em TV fechada e pelo streaming no Star+.

Nas mãos de Roger Penske, a Indy ganha cada vez mais corpo. Em meio à pandemia, vai ampliar seu grid para 2022. Negocia há tempos com outras montadoras para que, na ponta final, haja mais negócios, equipes, interesse e, claro, aquele congestionamento em Indianápolis para que 40 ou mais carros queiram disputar a corrida e nos proporcione aquele ‘Bump Day’ maravilhoso.

Com isso, volta a atrair mais público. No GRANDE PRÊMIO, por exemplo, 2021 registrou recorde histórico.

A Cultura está investindo bastante em esporte e automobilismo – tem a Fórmula E também no menu. E vai manter os calhordas Geferson Kern e Rodrigo Mattar nas transmissões, uma dupla que mostrou entrosamento desde a primeira etapa. Sabem do negócio. Na ESPN, haverá transmissão dos treinos classificatórios e de todas as etapas – e conversas estão em andamento para que haja entregas complementares. Renan do Couto manja do riscado, já cobriu etapa lá fora e tudo mais. E eu, cêis sabem, amo a Indy e não vejo nenhum lugar no mundo como Indianápolis para cobrir corrida. Estive lá cinco vezes. Não vejo a hora de voltar e de fazer parte disso.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments